Últimas Notícias

Júlio Cocielo posta vídeo pedindo desculpas: “Fiquei com vergonha de mim”

(Foto: Divulgação)
Na noite da última quarta-feira (4), Júlio Cocielo publicou um vídeo no YouTube pedindo desculpas pelo comentário racista sobre o jogador francês Kylian Mbappé.

“Faço questão de vir publicamente pedir perdão […] Isso nunca mais vai se repetir. Eu quero recomeçar. Vou olhar para frente, fazer diferente, aprender com o meu erro”.


No vídeo, intitulado “Ignorância”, Cocielo insiste que o comentário “zoado e mal explicado” se referia à velocidade de Mbappé, e que sua ignorância foi “combatida com conhecimento”.

“Em meio a tudo isso, eu queria entender. Eu fui atrás deste erro e agradeço as pessoas que quiseram me ouvir e me explicaram sobre o racismo institucional e o racismo velado […] É bom a gente se informar e, no meu caso, a minha ignorância foi combatida com conhecimento”.



O youtuber também cita os tuítes preconceituosos descobertos em sua conta no Twitter – todos apagados. Para ele, “aquele monte de merda” é muito distante de quem é hoje e do tanto que “sua vida evoluiu”.

“Eu não sou uma pessoa que quer espalhar o racismo, ser preconceituoso. Hoje eu leio tudo aquilo que eu postei e me sinto envergonhado. Eu postava supostas piadas, mas eu não tinha a mínima noção do peso que isso teria hoje. Eu aprendi que o que eu falei não é piada hoje, amanhã e nunca tem que ser. Eu vacilei”.



Cocielo também diz que o seu posicionamento não tem a ver com marcas, já que muitos de seus patrocinadores repudiaram o comportamento do youtuber.

“Eu estou fazendo isso por mim, porque eu me senti mal. Eu lendo as notícias eu fique com vergonha. Fiquei com vergonha de mim, de me apresentar para os meus amigos. Fiquei com vergonha da minha família. Eu entendi. Eu não quero isso para mim e nem para quem me acompanha na internet”.

Toda a repercussão vem levantado um debate sobre youtubers e influenciadores brasileiros, e, muitos deles, também usaram as redes sociais para se retratar sobre atitudes preconceituosas. No Instagram, Whindersson Nunes falou sobre a “brincadeira”  evolvendo a língua brasileira de sinais (LIBRAS) .

“Eu não sabia que isso ofendia as pessoas, então eu queria pedir desculpas, tá? Porque realmente foi ignorância minha, não foi querendo fazer uma brincadeira para diminuir a língua de vocês, eu realmente não sabia que isso ofendia, mas desculpa aí”.


Cauê Moura, que tem um canal próprio, além de dividir a página Ilha de Barbados com Rafinha Bastos e PC Siqueira no YouTube, foi ao Twitter falar sobre suas “piadas” do passado.

“Em 2012 eu fiz umas piadas completamente absurdas, nojentas, deploráveis. Fiquei horrorizado ao ler essas merdas seis anos depois. Fui um lixo. Mereço qualquer xingamento vindo dos atingidos. Peço perdão por ter sido assim um dia. Deletei os tweets. Nunca vai se repetir”.