Últimas Notícias

Bolsonaro volta a questionar legitimidade das eleições e diz que fará 'apuração paralela'.

(Foto: Divulgação)
O candidato à Presidência Jair Bolsonaro ( PSL ) voltou a questionar a legitimidade das eleições e apelou a apoiadores que ajudem sua campanha a realizar uma "apuração paralela" dos votos após o pleito deste domingo. Em transmissão ao vivo no Facebook, na noite deste sábado, o deputado pediu que os eleitores baixassem o aplicativo "Fiscais do Jair", fossem aos locais de votação às 17h, horário previsto para o encerramento da votação, e lhe enviassem fotos dos boletins das urnas eletrônicas. Pela manhã, a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, reforçou a confiança no sistema eletrônico de voto.


Quando encerrarem as votações, compareça ao local em que você votou. Cada boletim de urna é divulgado. Se mandarem duas ou três fotos, vamos fazer uma apuração paralela. É difícil você garantir a lisura (da votação), mas vamos em frente assim mesmo. Vamos votar usando a camisa nossa, é permitido. O TSE autorizou - destacou o candidato.

Encerrada a votação, cada urna eletrônica tem impresso um boletim que revela o número de votos nela registrados durante o dia de votação. Antes do pleito, é impresso um documento semelhante que atesta não haver qualquer voto computado no equipamento.


Durante a campanha, Bolsonaro questionou reiteradas vezes a segurança das urnas e foi questionado por autoridades eleitores, que frisaram o histórico de 22 anos sem qualquer registro de fraude no sistema. Na transmissão ao vivo, o candidato ainda pediu votos para correligionários do PSL.


- Senão nós podemos ficar na cláusula de barreira. Não adianta ter boa votação de legenda, fazer oito deputados e entrarem só cinco - ressaltou o deputado, que ainda elogiou o aliado Antonio Denarium, candidato ao governo de Roraima, estado o qual Bolsonaro chamou de sua "menina dos olhos", e as lideranças evangélicas que o apoiaram.